quinta-feira, 7 de julho de 2011

Lobo Guará na área urbana de Cataguases

video
       No dia 5 de julho último, por volta das seis da manhã, os funcionários de uma empresa na cidade de Cataguases foram surpreendidos ao depararem com um Lobo Guará no interior de um dos banheiros da área externa da empresa.
Momento da captura do Lobo Guará

       Imediatamente a Polícia Ambiental e a ARPA foram acionadas e compareceram ao local, fazendo a captura do mesmo da melhor maneira possível, acondicionando-o em uma jaula, sempre tpmando os cuidados para causar o mínimo de esteresse no animal. 
  
Equipe da ARPA


     O Lobo naturalmente ficou agressivo e ofereceu alguma resistência , causando dificuldade em sua captura por parte da equipe,  porém após ser capturado foi avaliado por um biólogo para verificar se haviam lesões ou problemas, não sendo nada constatado.





     Imediatamente o animal foi encaminhado até uma área na zona rural de Cataguases distante da área urbana da cidade, onde se encontram as condições ideais para seu desenvolvimento, sendo o local pouco habitado e onda há registros de avistamentos de outros animais da mesma espécie, sendo então devolvido à natureza.

Assista ao video do momento da soltura do Lobo na natureza.

Momento da soltura do lobo guará

O Lobo Guará devolvido ao Meio Ambiente ileso e em segurança


segunda-feira, 23 de maio de 2011

Minha relação com o Rio Pomba

      Não sei extamente o por quê, depois de tantas estradas, tantos rumos diferentes  tomados nessa  vida, com tantos locais novos que me foram apresentados,  nada me tira essa admiração pelo Rio Pomba, da maneira como ele é.

      Tenho nesse rio um pouco da minha história de vida, aí voces imaginarão que eu era pescador ou vivia desse rio, porém, apesar de já ter pescado alguma coisa, não é por esse motivo. Acho que essa admiração tem raiz lá na história de vida do meu pai, que me contava suas façanhas de menino envolvendo o rio Pomba,. Ainda quando eu era menino, me levou uma única vez para acampar à beira do rio, em suas "prainhas" entre as cidades de Dona Euzébia e Cataguases, lá aprendi a dar as minhas primeiras braçadas e foi de lá que tirei o primeiro peixe da água, e com o passar do tempo, com a maturidade, veio o conhecimento sobre o rio, suas origens, seus afluentes, e o seu destino final.

Ainda, sobre a minha relação pessoal com esse rio, me recordo que tenho um irmão que quando era garoto, nos anos 70, chegou a fazer um bico de retirante de areia no rio pomba, na época em que o retirante ficava de pé em um velho barco de madeira no meio do rio e utilizava uma espécie de peneira presa a um bambú, que arrastava no leto do rio e trazia cheia de areia que depositava no barco. Lembro também, da minha saudosa avó Eva Vieira (Dona Fia) que morava à margem desse rio e de sues causos "medonhos" sobre Cablocos D'água que ela já teria avistado, sobre antas, jacarés, enormes serpentes e outros animais que ela já viu no rio, e também das inúmeras vezes em que ela precisou sair de casa por causa das enchentes. 

Mas me lembro com mais saudosismo é do meu querido pai, Seu Wander, que era pescador ( e dos bons), que adorava levar os filhos para pescar no rio pomba, eu como era o mais novo, ia poucas vezes, mas recordo bem dessas poucas vezes pois foram marcantes, Mata do Mandengo, Aracati e Sinimbú são alguns locais que me recordo e junto, somam umas das poucas recordações que guardo do meu pai em vida, que logo faleceu.

Enfim, talvez pareça um desabafo, ou algo assim, mas a verdade é que sou um entusiasta da presevração ambiental como um todo, e não poderia ser diferente com esse importante rio, e eu trabalharei no que puder ser feito para que eu possa ajudar a preservá-lo e recuperá-lo, pois na minha atual condição, posso contribuir de várias formas, e uma delas é apoiar e propor projetos ambientais que visem estudos e melhoras  no rio, desde que seja mantido seu aspecto natural.

segunda-feira, 21 de março de 2011

22 DE MARÇO: DIA MUNDIAL DA ÁGUA.


      Não poderiamos deixar essa data comemorativa passar sem aborda-la aqui em nosso blog.  Assim sendo, falaremos sobre a história desse dia e abordaremos o assunto com um enfoque sobre a água no Brasil.
      O Dia Mundial da Água foi criado pela Organização das Nações Unidas - ONU, no dia  22 de março de 1992.
     A ONU estabeleceu esta data porque dois terços o planeta Terra é formado por este precioso líquido. A  pouca quantidade, cerca de 0,008 %, do total da água do nosso planeta é própria para o consumo, e  grande parte das fontes desta água (rios, lagos e represas) esta sendo contaminada, poluída e degradada pela ação predatória do homem. 
      Esta situação é preocupante, pois poderá faltar, num futuro próximo, água para o consumo de grande parte da população mundial. Pensando nisso, foi instituído o Dia Mundial da Água, cujo objetivo principal é criar um momento de reflexão, análise, conscientização e elaboração de medidas práticas para resolver tal problema.

Em termos de disponibilidade de água nosso Brasil é um dos países mais privilegiados do mundo, pois possuímos água doce qusae de de maneira abundante, pois temos variados rios, riachos, nascentes, exsurgências, e muitas minas d'agua  espalhadas por aí.

Contudo, quando disse que somos privilegiados neste aspecto quis dizer que em muitos países do mundo as pessoas não têm ao seu alcance um copo de água limpa e tratada. E o que muitos de nós fazemos com a nossa água limpa e  tratada?  - DESPERDIÇAMOS - isto mesmo, muitos de nós utilizamos como se nunca fosse nos faltar água, em que pese vez ou outra termos essa experiência em um ou dois dias do ano. Agora imagine -se vivendo sem a água disponível como muitos povos vivem.

       Durante minhas pesquisas sobre o conteúdo deste tema, encontrei um site que disponibiliza um Simulador de consumo de água muito interessante para termos a noção do quanto é desperdiçado em uma casa.

     Enfim, o tema é bastante longo e com uma vasta variedade de abordagens que tornaria a leitura "chata". Assim, sugiro maiores pesquisas a respeito e que se interessem pelas variadas campanhas que serão desenvolvidas por ocasião desta importante data comemorativa, e para quem está na cidade de Cataguase/MG apreciem a Semana da Água cuja programação segue abaixo.

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Alterações do Código Florestal - Será possível impedir?

Enquanto tramita no congresso nacional a proposta de alteração do Código Florestal Brasileiro, Lei nr 4.771, de 15 de setembro de 1965, muitas questões e polêmicas são levantadas devido ao choque de idealismos das correntes contrárias e à favor das alterações que estão prestes a serem efetivadas.

Como cidadão, policial militar, e agente de fiscalização ambiental do Estado de Minas Gerais, acredito que muitas alegações usadas para votar em definitivo a aprovação da alteração do Código Florestal são para encobrir as reais intenções escondidas por trás do que está se propondo - Os interesses econômicos de grandes pecuaristas e agricultores.

Contudo, em estudo e pesquisa sobre a situação, ví uma alegação que me chamou a atenção; O código Florestal foi chamado de "ultrapassado".... Assim, como cidadão, policial militar e agente de fiscalização ambiental, percebo que tanta coisa é ultrapassada em nosso país, por exemplo o Código Penal Brasileiro que é de 1941 e engessa o poder judiciário e abre enormes brechas para que criminosos recebam benefícios e fiquem menos tempo presos,  e nem por isso sua reformulação vem tendo destaque na tramitação em nosso congresso nacional, que, aliás, é formado pelos políticos que escolhemos nas últimas eleições de 3 de outubro passado.

Abaixo, segue uma importante observação obtida no blog:  http://colunas.epoca.globo.com/planeta/2011/01/24/por-que-as-alteracoes-na-lei-de-florestas-aumentam-os-riscos-de-novas-tragedias/, que alerta sobre a amplitude que as alterações no código florestal  podem ter caso sejam realizadas, associando os problemas ambientais decorrentes destas alterações com a tragédia ocorrida recentemente na região serrana do vizinho Estado do Rio de Janeiro. Destaco  que, infelizmente, há pessoas que mal sabem defender seu ponto de vista, e nos comentários sobre o texto que segue abaixo, pessoas chamaram o trabalho de "oportunismo ambiental barato!". Simplesmente triste...





















































































 Imagem do desmate no Pará: http://www.ecodebate.com.br/2010/07/12/alteracoes-no-codigo-florestal-e-o-perdao-ao-desmatador-artigo-de-ricardo-machado/

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Visita ao Parque Estadual da Serra do Brigadeiro

Vista do conjunto de montanhas que compõem o parque da Serra do Brigadeiro
Não há como deixar de admirar a beleza do conjunto de montanhas formam o parque da Serra do Brigadeiro, localizado entre os municípios e Araponga e Fervedouro, tendo ainda uma área que abrange outors municípios da região.

Realmente é um excelente passeio para quem precisa se desconetcar do dia-a-dia na cidade. Infelizmente não tive a oportunidade de encontrar com os bugios ou macacos monocarvoeiro, que são os maiores primatas da america do sul. Porém, tive a oportunidade de visitar suas cachoeiras, e passar próximo a locais de grande beleza, ficando com o gostinho de quero mais, pois devido à chuva que caía (que só parou no último dia) não foi possível visitar o pico do boné, a pedra do pato e o pico do Soares nos dias em que estive por lá.



Pedra do Pato - Parque Estadual da Serra do Brigadeiro

Pude encontrar com uma Siriema que cantava estridentemente em voz alta enquanto lhe fotografava e com uma jove Maria Preta de Penacho que muito curiosa,  me observava do alto de um tronco de árvore enquanto eu lhe fotografava.
Trata-se de um lugar com uma imensa variedade de animais silvestres, dentre eles a temida onça parda, que vem tendo relatos de sua aparição em diversas localidades diferentes  em nosso Estado, o que significa que os animais estão se reproduzindo e ocupando novos territórios, distantes das áreas de habitação humana.

Como disse anteriormente, terei de voltar lá após o periodo das chuvas e aprofundar a visitação para obter melhores resultados para publicá-los pois olugar tem muita atração e locais para serem visitados.

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Bicho preguiça nsa ruas da cidade

Preguiça (Bradypus variegatus) encontrado nas ruas do bairro Ana Carrara
Moradores de um bairro na cidade de Cataguases acionaram a Polícia Mlitar de Meio Ambiente para promover o recolhimento de um bicho preguiça que estava vagando por uma rua do bairro.  O Animal  que se tratava de um jovem, estava um tanto desorientado e teria perdido a orientação de se seu habitat quando estava em busca de alimento, vindo a parar na área habitada.
Antes de ser devolvida ao meio ambiente a Preguiça foi avaliada pelo Biólogo da ARPA  que colabora com as ações da Polícia Ambiental  e constatou que o animal estava bem sem nenhum problema de saúde ou ferimento.

De imediato o animal foi colocado em uma árvore ao lado da sede do quartel e mostrou sua agilidade e destreza para escalar alcançando a copa da árvore rapidamente.

Mais uma vez vemos que pessoas conscientes podem contribuir com simples ações para ajudar o meio ambiente. No caso do Bicho Preguiça, são animais lentos e vulneráveis no solo, mas são ótimas nadadoras; são muito seletivas com sua alimentação e seu principal alimento são folhas jovens,  e sua especialidae são as folhas das árvores Embaúba e a Ingazeira.
 
A cada 7 ou 8 dias elas descem das árvores, quando elas fazem suas "necessidades" próximo à base da árvore em que vivem e onde costumam se alimentar e até mesmo se acasalar. 

Ajudou nas informações acima: http://pt.wikipedia.org/wiki/Bicho-pregui...



quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Rio Pomba. Nosso patrimônio desconhecido!


Trecho do Rio Pomba entre as cidades de Cataguases e D. Eusébia
Poucas pessoas na cidade de Cataguases e de muitas outras cidades pertencentes à bacia hidrográfica do Rio Pomba, conhecem de fato a sua real importância, o seu valor e principalmente a história que ele conta desede a sua nascente até a sua foz. 

Se fizermos uma pesquisa de rua na cidade de Cataguases, perguntando à populção onde o Rio Pomba nasce e onde ele deságua, acredito que ficaremos surpresos se algumas dezenas de pessoas responderem corretamente.

Pois bem, conhecer o Rio Pomba sempre foi um interesse particular meu. Etretanto, ao conhecer o amigo e dedicado professor e pesquisador Ricardo Quinteiro de Mattos, esse interesse tornou-se objeto de estudo, e evoluiu para a elaboração de um projeto que visa tornar o Rio Pomba conhecido das pessoas  Pois entendemos que é  injusto que o rio receba destaque apenas quando suas águas se avolumam e causam as temidas e danosas enchentes nas cidades por onde passa.
Assim sendo, a partir de meados do ano de 2010, começamos a promover algumas expedições pelo Rio Pomba registrando algumas informações e fotografias de alguns pontos.  Infelizmente, temos percebido que o nosso patrimônio vem dando mostras de de que vem sofrendo muito no periodo da estiagem. 

Em nossas expedições encontramos muita vida, desde pequenas praias, belas paisagens, orquídeas, bromelias, árvores que podem contar com uma centena de anos, uma abundante diversidade de pássaros, além de vestígios de animais como capivaras e ariranhas.

Contudo, de maneira triste, tenho a dizer que o nosso importante rio precisa que as pessoas tenham mais consideração por ele.

Ao mesmo tempo em que registramos belezas e animais silvestres, encontramos também muita quantiadde de lixo em suas margens, encontramos pontos assoreados, bem como uma enorme  prática de pesca que pode ser considerada predatória, mesmo no perido de defeso dos peixes, conhecido por piracema, o que certamente influi na vida aquática do rio.

Lixo acumulado nas margens do rio Pomba
Lixo nas margens do Pomba em outro local
Trecho assoreado do rio próximo a Barão de Camargos.
Deixo esta mensagem  para que as pessoas sejam mais conscientes e procurem não dispensar seus utensílios, objetos e principalmente garrfas Pet (refrigerantes 2 l)  em locais que podem ir parar no Rio Pomba. Acredito que isto é o mínimo de uma série de ações que cada um pode começar a fazer para cuidar do nosso patrimônio.


       Observação: Imagens realizadas fora do periodo das cheias do Rio Pomba.